sexta-feira, dezembro 30, 2005

Bom 2006

Desejo a todos membros da blogosfera uma grande 2006 no qual atinjam todos os objectivos a que se propuserem.

quarta-feira, dezembro 21, 2005

Filmes e certos pais

Não tenho o hábito de criticar filmes (nem me arrogo de tais qualidades) mas os dois ultimos filmes que vi foram duas surpresas: uma boa e outra má.

Fui ver "O fiel jardineiro", baseado na obra de John Le Carré e realizado por Fernando Meirelles, o mesmo do extraordinário "Cidade de Deus", e fiquei agradávelmente surpreendido com um filme simples, honesto e que aborda as obscuras relações que se estabelecem entre alguns Governos e a indústria farmacêutica e as "alegadas" esperiências médicas que esta ultima faz nas populações carênciadas de Africa. Muito bom. Aconselho.

Depois fui ver o "King Kong". Grande promoção, grande realizador, bom elenco e um gorila tamanho familiar foi motivo bastante para me levar a ver o filme (tenho uma especial simpatia por gorilas). Conclusão: uma banhada de 3 horas. Uma história que não desenvolve, um abuso excessivo e desnecessáio de efeitos especiais e, em alguns momentos, uma violência visual que chega a ser extrema e nos lembram que Peter Jackson começou a sua carreira realizando filmes gore.

Uma palavra final para alguns eventuais espectadores. Fui ver uma sessão às 21,30h (acabou quase à 1h) e ao meu lado sentou-se uma familia composta por pai, mãe e duas filhas (mais ou menos 10/12 anos). Durante uma as muitas cenas violentas do filme (um homem a ser devorados por 3 vermes o mesmo tempo) tive a curiosidade de olhar para o lado e vejo a miúda mais pequena com as pernas encolhidas, com os pés em cima do banco e abraçada aos joelhos. Completamente aterrorizada. Os pais, nada. Quando o filme acaba (finalmente) e estando a miúda ainda pálida, qual é a 1.ª reacção dos pais? Começarem a conversar entre si acerca do "ganda filme" que estava "muito bem feito". A miúda nem piava. Meus senhores, se apesar da qualificação que é dada aos filmes, os cinemas não limitam as entradas a menores do que estiver estabelecido, tenhamos nós, adultos, de ter a percepção que em certos filmes não são adequados para certas idades. Como dizia a minha mulher: "depois são estes mesmos pais que criticam a violência que existe na nossa televisão".

sexta-feira, dezembro 16, 2005

Mais uma vez

Mais uma vez uma criança (neste caso, bébé recém nascido) é vitima de maus tratos no nosso país e fica às portas da morte.
Mais uma vez nenhuma entidade pública de apoio social poderá ser responsabilizada pelo ocorrido.
Mais uma vez a criança já tinha sido assistida anteriormente mas ninguém detectou nenhum indicio de maus tratos.
Mais uma vez, e apesar dos antecedentes sociais e criminais dos progenitores, ninguém podia prever que esta situação fosse ocorrer.
Mais uma vez a comunidade onde se inseria esta pseudo familia nada viu, nada ouviu, nada fez.
Mais uma vez, e segundo a UNICEF, surgimos vergonhosamente colocados em 4.º lugar nos paises onde mais se maltratam crianças.
Mais uma vez eu não sei o que é que andam a fazer os técnicos da Segurança Social adstritos a estes processos.
Mais uma vez a sociedade civil omitiu-se.
Mais uma vez a justiça que eventualmente se vier a aplicar será injusta.
Mais uma vez parecemos um país do terceiro mundo.

Mais uma vez ....... Até quando?

segunda-feira, dezembro 12, 2005

A agressão a Soares

A história repete-se: mais uma vez Mário Soares é agredido durante uma campanha eleitoral. Todos sabemos o que aconteceu em 1986 e as repercussões positivas que esse incidente trouxe à sua candidatura. Ontem aconteceu o mesmo.

Considerando a muito boa colocação das câmaras de televisão para verem este incidente (no meio de uma multidão à pinha), bem como o despropósito do ocorrido, pois começa com uma abordagem mais ou menos normal e, de repente, o agressor altera-se completamente e tenta agredir o candidato, não excluo a hipótese de estarmos perante uma situação encenada. Eu não sou grande apologista destas “teorias da conspiração” mas ao visionar as imagens não pude deixar de pensar nesta hipótese. Julgo que não terei sido o único e sei que não seria a primeira vez que era tomada uma iniciativa destas na política portuguesa.

Se, porventura, estives errado há uma questão que importa pôr e só a titulo de exemplo: havendo um anti-cavaquismo primário em muitos sectores da nossa sociedade ou existindo um forte anti-comunismo em outros, porque carga de água que a única pessoa que é agredida nas nossas campanhas eleitorais é o Mário Soares?

segunda-feira, dezembro 05, 2005

Alguém dúvida que foi atentado?

Fez ontem 25 anos que faleceram Francisco Sá Carneiro, Adelino Amaro da Costa e todos os ocupantes do Cessna que caiu sobre Camarate na noite de 4 de Dezembro de 1980.

Além da fatalidade em si e da falta que estas pessoas seguramente fizeram ao país nos anos seguintes, faz-me impressão que ainda hoje andemos todos aqui, que nem uns totós, a ser levados nas mais variadas versões que tentam explicar a queda do avião.

Sejamos claros: analisemos os resultados das várias Comissões Parlamentares criadas para analisar esta questão (ignoremos as primeiras cujos interesses seriam outros que não esses), afiram-se os factos que foram dados como provados e a conclusão só pode ser uma: o avião caiu porque deflagrou a bordo um engenho explosivo. Cidadãos anónimos residentes em Camarate testemunharam que o avião já vinha em chamas no ar; alguns corpos tinham fragmentos explosivos nos pés; nunca foi proferido um pedido de “socorro” pelo comandante da aeronave; já para não falar que Lee Rodrigues já confessou, mais do que uma vez, a autoria material do crime. Depois de isto tudo, entre outros motivos que não vou agora descrever mas que recomendo sejam lidos no magnifico livro de investigação de Augusto Cid “Camarate” (versão integral – capa negra – e não uma versão reduzida que já vi com um quinto das paginas), depois de tudo isto, dizia eu, que interesses podem ter aqueles que ainda hoje advogam a tese de acidente. Porque é que a queda do avião tem de ocorrer, necessariamente, por acidente? Se estivermos de consciência tranquila qual é o problema se tiver sido um crime? A não ser que os implicados nesse eventual crime sejam pessoas que à data tinham muita relevância politica e/ou militar.

E é aqui que eu julgo que está a resposta a este dilema que vergonhosamente se mantém. Eu sou daqueles que defende que o “alvo” do atentado seria Adelino Amaro da Costa (então Ministro da Defesa), pois Sá Carneiro e Snu Abecassis só entraram no avião à ultima da hora porque iam para o Porto e apanhavam a boleia. Agora se Amaro da Costa era o “alvo”, qual era o motivo? Analisem-se os dados do Ministério da Defesa naquela altura e verificarão que, apesar da guerra colonial já ter acabado há uns anos, a necessidade de armamento continuava a ser a mesma. Para onde iam essas armas? Irão, que se encontrava em guerra com o Iraque e estava sujeito a um bloqueio internacional. Quem lucrava com essas vendas? Não o Estado português porque esse negocio era ilegal, logo, sobrariam algumas pessoas que tinham capacidade para gerir essa operação muito lucrativa. Eram esse que iriam ver as suas negociatas terminar com as diligências que Amaro da Costa encetava no Ministério. Eram esses que iriam perder muito dinheiro. E foram esses que o mandaram matar. Apure-se as suas identidades.

Deixemos de andar a discutir pela enésima vez questões colaterais que mais não fazem do que desviar a atenção sobre o que é efectivamente importante. Descubram-se as motivações e descobrem os instigadores desse crime.

Até esse dia nós, portugueses, continuaremos a ser tratados como uns totós que acreditamos em tudo que nos puserem à frente dos olhos. Tal qual os americanos que acreditam que JFK foi morto por um assassino que agia sozinho e com motivações meramente pessoais.

segunda-feira, novembro 28, 2005

Continua-se a meter água

Neste país continua-se a tomar decisões judiciais dignas dum qualquer Estado terceiro mundista. Ao fim de mais de 4 anos (só 4 anos) 6 pessoas vão responder em Tribunal pela queda de ponte de Entre-os-Rios. Depois de terem sido constituídos 29 arguidos numa fase de inquérito só foi possível apurar que aquela queda deu-se, no melhor das hipoteses, por factos que devem ser imputados a estes 6 individuos: 4 técnicos da antiga JAE e 2 funcionários da empresa responsável pela vistoria sub-aquática. Até aqui tudo muito giro mas há uma questão que me chama a atenção: então nenhuma destas entidades, JAE e essa tal empresa, ou quaisquer outras que na altura foram arguidos (p.e. areeiros) é responsável? Onde ficam as suas responsabilidades contratuais e civis? Só os funcionários é que pagam?

Não é que eu esteja à espera que um qualquer administrador dessas empresas vá preso por estes factos mas seria relevante, para efeitos de uma eventual indemnização aos lesados, que alguém que lucre com estas actividades e que por força disso têm uma maior capacidade económica, pudesse responder por este acidente.

Isto faz lembrar o caso da criança que, há uns anos, foi electrocutada por ter carregado num botão de um semáforo em Lisboa e quem foi a julgamento foi o coitado electricista da empresa que fazia a manutenção do mesmo. Os anos passaram e as mesmas decisões ridículas continuam a ser tomadas.


quinta-feira, novembro 24, 2005

quarta-feira, novembro 23, 2005

Duvido

Mário Soares diz que se Cavaco for eleito Presidente da República, ele (Soares) não vai conseguir dormir descansado.

Duvido.

quinta-feira, novembro 17, 2005

O poeta sem medo


Manuel Alegre, agora, compara-se a Humberto Delgado e ambiciona ter, no país, o impacto que o General "sem medo" teve nos idos anos 50. Desejo boa sorte ao poeta e aconselho a ter cuidado com as relações que mantém com a secretária e, em circunstância alguma, vá para Espanha.

terça-feira, novembro 15, 2005

Para refletir

Eu até não sou um grande do homem (por motivo que não vou explicar agora sob pena de me acusarem de difamação), mas Eduardo Prado Coelho escreveu uma crónica no Público que não resisto a transcrever (tenham paciência e leiam-na na integra):

"A crença geral anterior era de que Santana Lopes não servia, bem como Cavaco, Durão e Guterres. Agora dizemos que Sócrates não serve. E o que vier depois de Sócrates também não servirá para nada. Por isso começo a suspeitar que o problema não está no trapalhão que foi Santana Lopes ou na farsa que é o Sócrates. O problema está em nós. Nós como povo. Nós como matéria prima de um país. Porque pertenço a um país onde a ESPERTEZA é a moeda sempre valorizada, tanto ou mais do que o euro. Um país onde ficar rico da noite para o dia é uma virtude mais apreciada do que formar uma família baseada em valores e respeito aos demais. Pertenço a um país onde, lamentavelmente, os jornais jamais poderão ser vendidos como em outros países, isto é, pondo umas caixas nos passeios onde se paga por um só jornal E SE TIRA UM SÓ JORNAL, DEIXANDO-SE OS DEMAIS ONDE ESTÃO.

Pertenço ao país onde as EMPRESAS PRIVADAS são fornecedoras particulares dos seus empregados pouco honestos, que levam para casa, como se fosse correcto, folhas de papel, lápis, canetas, clips e tudo o que possa ser útil para os trabalhos de escola dos filhos ... e para eles mesmos. Pertenço a um país onde as pessoas se sentem espertas porque conseguiram comprar um descodificador falso da TV Cabo, onde se frauda a declaração de IRS para não pagar ou pagar menos impostos. Pertenço a um país onde a falta de pontualidade é um hábito. Onde os directores das empresas não valorizam o capital humano. Onde há pouco interesse pela ecologia, onde as pessoas atiram lixo nas ruas e depois reclamam do governo por não limpar os esgotos. Onde pessoas se queixam que a luz e a água são serviços caros. Onde não existe a cultura pela leitura (onde os nossos jovens dizem que é "muito chato ter que ler") e não há consciência nem memória política, histórica nem económica. Onde nossos políticos trabalham dois dias por semana para aprovar projectos e leis que só servem para caçar os pobres, arreliar a classe média e beneficiar a alguns.

Pertenço a um país onde as cartas de condução e as declarações médicas podem ser "compradas", sem se fazer qualquer exame. Um país onde uma pessoa de idade avançada, ou uma mulher com uma criança nos braços, ou um inválido, fica em pé no autocarro, enquanto a pessoa que está sentada finge que dorme para não dar-lhe o lugar. Um país no qual a prioridade de passagem é para o carro e não para o peão. Um país onde fazemos muitas coisas erradas, mas estamos sempre a criticar os nossos governantes.

Quanto mais analiso os defeitos de Santana Lopes e de Sócrates, melhor me sinto como pessoa, apesar de que ainda ontem corrompi um guarda de trânsito para não ser multado. Quanto mais digo o quanto o Cavaco é culpado, melhor sou eu como português, apesar de que ainda hoje pela manhã explorei um cliente que confiava em mim, o que me ajudou a pagar algumas dívidas. Não. Não. Não. Já basta.

Como "matéria prima" de um país, temos muitas coisas boas, mas falta muito para sermos os homens e as mulheres que nosso país precisa. Esses defeitos, essa "CHICO-ESPERTERTICE PORTUGUESA" congénita, essa desonestidade em pequena escala, que depois cresce e evolui até converter-se em casos escandalosos na política, essa falta de qualidade humana, mais do que Santana, Guterres, Cavaco ou Sócrates, é que é real e honestamente ruim, porque todos eles são portugueses como nós, ELEITOS POR NÓS. Nascidos aqui, não em outra parte... Fico triste. Porque, ainda que Sócrates fosse embora hoje mesmo, o próximo que o suceder terá que continuar trabalhando com a mesma matéria prima defeituosa que, como povo, somos nós mesmos. E não poderá fazer nada... Não tenho nenhuma garantia de que alguém possa fazer melhor, mas enquanto alguém não sinalizar um caminho destinado a erradicar primeiro os vícios que temos como povo, ninguém servirá. Nem serviu Santana, nem serviu Guterres, não serviu Cavaco, e nem serve Sócrates, nem servirá o que vier. Qual é a alternativa? Precisamos de mais um ditador, para que nos faça cumprir a lei com a força e por meio do terror? Aqui faz falta outra coisa. E enquanto essa "outra coisa" não comece a surgir de baixo para cima, ou de cima para baixo, ou do centro para os lados, ou como queiram, seguiremos igualmente condenados, igualmente estancados....igualmente abusados! É muito bom ser português. Mas quando essa portugalidade autóctone começa a ser um empecilho às nossas possibilidades de desenvolvimento como Nação, então tudo muda... Não esperemos acender uma vela a todos os santos, a ver se nos mandam um messias.
Nós temos que mudar. Um novo governante com os mesmos portugueses nada poderá fazer. Está muito claro... Somos nós que temos que mudar. Sim, creio que isto encaixa muito bem em tudo o que anda a nos acontecer: desculpamos a mediocridade de programas de televisão nefastos e francamente tolerantes com o fracasso. É a indústria da desculpa e da estupidez. Agora, depois desta mensagem, francamente decidi procurar o responsável, não para castigá-lo, senão para exigir-lhe (sim, exigir-lhe) que melhore seu comportamento e que não se faça de mouco, de desentendido. Sim, decidi procurar o responsável e ESTOU SEGURO QUE O ENCONTRAREI QUANDO ME OLHAR NO ESPELHO. AÍ ESTÁ. NÃO PRECISO PROCURÁ-LO EM OUTRO LADO.

E você, o que pensa?.... MEDITE!
"

Uma vitória para a blogosfera

O Tribunal Judicial da Comarca de Alcobaça proferiu uma sentença que nos deve dar a todos um motivo de alegria. Para mais quando o processo da Casa Pia tem passado por tantas "vergonhas processuais" (erros, fugas de informação, etc.) seria lamentável que, mais uma vez, o elo partisse pelo lado mais fraco.

Não partiu, e ainda bem.

quarta-feira, novembro 09, 2005

Soares afinal é de direita

Ao demonstrar a sua vasta e infindável sabedoria, Mário Soares,ontem e perante uma plateia de estudantes fez questão de distinguir a esquerda da direita.

Ao fazê-lo disse algo assim: os primeiros são aqueles que agem em prol dos outros, da sociedade, e os segundos são aqueles agem em benefício próprio e da sua familia.

Com esta elementar definição,e ao fim de tantos anos, só agora é que percebi que Mário Soares é um homem de direita.

segunda-feira, novembro 07, 2005

A violência alastra






Como tenho postado pouco ainda não tinha opinado sobre a violência urbana que eclodiu em França. Ao saber que surgiram focos de violência análoga em paises vizinhos como a Bélgica e a Alemanha, é inevitável que, também, eu venha mandar as minhas larachas sobre o assunto.

Ao contrário daqueles que advogam que este problema só se resolve por via do diálogo e da compreensão, eu julgo que só existe um modo de soluccionar esta questão rapidamente: pela força. Indivíduos que se dedicam à prática destes actos, e que ao contrário do que muitos dizem, são efectivamente "escumalha", só conhecem uma linguagem e essa é a da força.

Se não se tomam medidas objectivas que combatam, de imediato, estes agitadores corremos o risco de os cidadãos que vêem as suas propriedade serem afectadas tomarem as armas e tentar fazer justiça com as próprias mãos, criando cenários de próximos da guerra civil.

Ao Estado cabe a responsabilidade de fazer cumprir a lei e a ordem, defendendo os direitos dos seus cidadãos. De outro modo há a anarquia.

domingo, outubro 30, 2005

Corrigindo asneiras

"Esta candidatura não se apresenta contra ninguém, é um projecto próprio."
Manuel Alegre

sábado, outubro 29, 2005

quinta-feira, outubro 20, 2005

09/10/2005 - A verdadeira história

8h00 - Abrem as urnas
8h01 - Santana Lopes vota vindo directamente da noite
8h15 - Soares acorda e não sabe que dia é.
8h16 - Soares vai à casa de banho e perde-se no corredor
8h30 - Sócrates vota e comenta para o "amigo" que hoje vai ser um grande dia
8h32 - Maria Barroso descobre Soares na cozinha e leva-o para a cama
8h45 - Carrilho acorda e telefona à Barbara para se juntarem para irem votar
9h00 - Zezinha entra na missa antes de ir votar
9h35 - Santana Lopes deita-se
11h00 - É colocado um banco à frente da mesa de voto nº 2 da secção de voto 54.
11h01 - Marques Mendes vota na mesa n.º 2 da secção 54.
11h02 - É retirado o banco
11h30 - Jerónimo de Sousa chega à sede do PCP onde começa a ouvir cassetes de músicas revolucionárias
11h45 - Louçã fuma o segundo charro do dia e já se está a borrifar para os resultados
12h00 - Soares consegue finalmente se levantar e veste-se para ir votar
12h05 - Maria Barroso volta a vestir Soares para lhe colocar as calças direitas
12h30 - Soares Junior vota e telefona ao pai a pedir ajuda
13h00 - Seara vai votar aproveitando o intervalo do jogo da manhã na sport tv
13h00 - Soares chega ao local de voto
13h05 - Soares adormece na fila para votar
13h06 - Soares acorda e não sabe onde está
13h10 - Soares vota mas não sabe onde pos a cruzinha
13h15 - A caminho de casa Maria Barroso vê uma cruz desenhada na mão de Soares
15h00 - Carrilho vota mas não cumprimenta o presidente da mesa
15h30 - Carmona vota e mostra-se confiante perante os outros dois candidatos homens e as duas mulheres.
15h31 - Sá Fernandes vota e reafirma-se homem
15h32 - Ruben de Carvalho mostra com orgulho a sua masculinidade num voto poderoso
15h33 - Zezinha sai da missa e vai votar e diz não conhecer nenhum Carmona
15h34 - Carrilho não se pronuncia e fecha-se no quarto a brincar com uma Barbie já antiga
17h00 - Louçã vota e manda uma marrada na porta de tão charrado que está. Começa a rir-se do ocorrido.
17h15 - Soares adormece
19h00 - Carmona ganha Lisboa
19h01 - Seara arrasa em Sintra
19h02 - Rio esmaga no Porto
19h30 - Soares acorda e telefona ao filho a dar-lhe os parabens
19h31 - Maria Barroso mete Soares na cama e pede-lhe para dormir
20h00 - Carrilho discursa não assumindo a derrota e acusando Carmona de ser mau
20h30 - Socrates esconde-se numa sala no largo do Rato e faz beicinho
20h45 - Jorge Coelho culpa a direita fascista
21h30 - Mudam as pilhas ao Jeronimo de Sousa
21h31 - Jeronimo de Sousa faz um discurso de vitória e exulta frases de 1917
22h00 - Carmona abre uma gafarra de whisky mas esconde-a de Sá Fernandes e de Miguel Portas
22h30 - Avelino Ferreira Torres foge para o Marco mas como não conhece a cidade perde-se e acaba aos pontapés aos caixotes do lixo
22h45 - Em Gondomar o Major explode com a vitória e quer bater em tudo e todos
23h00 - Fátima Felgueiras distribui pelouros por alguns presos e mete uma muda de roupa num saco azul em caso de ter de sair, só cabe uma muda de roupa porque o saco está cheio
23h10 - Soares acorda e comemora a vitória como Presidente. Maria Barroso mete-o na cama e dá-lhe dois comprimidos
23h15 - Barbara manda Carrilho para a cama sem jantar e tira-lhe o Ken durante uma semana por castigo
23h30 - João Soares chora em Sintra e prepara candidatura a uma Junta na margem sul
00h00 - Zezinha é eleita e comemora com um chá e umas torradas
00h01 - Soares adormece sem perceber o que aconteceu
00h02 - Santana Lopes acorda e vai para a noite

quarta-feira, outubro 12, 2005

O voo do Açor

Discreto e humilde são dois dos adjectivos que melhor caracterizam Pauleta ao serviço do nosso futebol. Sem ser uma figura mediática, ao contrário de outros jogadores, o Açor cometeu hoje a proeza do ultrapassar o Rei Eusébio na lista dos melhores marcadores da nossa selecção. Isto não faz dele melhor jogador que o Eusébio (outros tempos, outros futebóis), mas garante-lhe, seguramente, um lugar de destaque junto dos melhores avançados portugueses de todos os tempos.

Por estes 42 golos, obrigado Pauleta. Pelos outros que ainda estão por vir, eu agradecerei em tempo.

segunda-feira, outubro 10, 2005

A noite das eleições

Vencedores: PSD, CDU e respectivos lideres;
Vencidos: PS (especialmente Jorge Coelho) que piora o péssimo resultado de 2001;
Maiores surpresas: Santarém e Faro;
Melhores discursos: Marques Mendes e José Socrates;
Pior discurso: Manuel Maria Carrilho;
Discurso mais digno: João Soares (para variar);
Discurso menos digno: Avelino Ferreira Torres;
Discurso mais ridículo: Fátima Felgueiras;
Discurso mais parvo: Valentim Loureiro;
Melhor analista: Ricardo Costa (SIC Noticias);
Pior analista: Fernando Rosas (RTP1)

Prémio Especial "Momento das Eleições": Mário Soares. Para quem dúvida que ele está senil, basta vê-lo, em pleno dia de eleições, a apelar ao voto no seu filho.

Momento Ortográfico: nova palavra para o dicionário de lingua portuguesa e que é sinónimo de burros - "felgueirenses".

sexta-feira, outubro 07, 2005

Finalmente acabou

Já era altura de acabar com esta campanha eleitoral. Apesar do período oficial não ser muito longo, quando este é somado ao período de pré-campanha isto fica extenuante. Com a agravante de estarmos perante eleições autárquicas onde o nível politico tende a ser muito mais mesquinho que o normal.

Acabaram as caravanas de campanha (não sei se lhes devo gabar a pachorra ou chamar-lhes nomes), as palhaçadas dos panfletos anónimos (com a variante de hoje terem surgido panfletos de campanha falsos), os candidatos que fazem promessas que extravasam, e muito, as suas competências, os apitos e os sacos plásticos, as visitas às praças, já não volto a ver o Carrilho e a Bárbara a fazerem um "comboio" numa festa popular com o mesmo à vontade com que um elefante está numa loja de cristais, deixarei, pelo menos diáriamente, de ouvir o pensamento demagógico e pseudo-cómico do Louçã mais os seus trocadilhos, nem as barbariedades dos 1.º Ministro que diz que em Portugal não existe muita agitação social (comparado com o Iraque, claro). Deixarei, também, de ver tantos criminosos (alguns dos quais condenados) a terem tanto tempo de antena nos nossos telejornais, situação essa que nos colocava ao mesmo nível que o famoso programa de televisão norte-americano "Cops".

Finalmente tudo isto acabou. Pelo menos até às próximas eleições.

sexta-feira, setembro 30, 2005

Triste figura

É triste ver um clube tão grande com técnicos e dirigentes tão pequenos.
E esta é a cara mais inteligente que ele consegue fazer.

terça-feira, setembro 27, 2005

Assim é mais fácil.

Como cidadão não percebo as politicas deste Governo.

A educação sexual nas escolas é um tabu que, como qualquer tabu que se preze, deve ser adiado no tempo e deixado em banho-maria para se irem criando expectativas e nada mais que isso.
O planeamento familiar é um conceito formal sem qualquer resultado prático, especialmente junto dos mais jovens (aqueles que deveriam ser o seu grande alvo).
A prática do aborto (dentro de determinados parâmetros) é para liberalizar o mais rapidamente possível.
Agora o Ministério da Saúde pondera retirar a comparticipação das pílulas anticoncepcionais.

Estas omissões e acções não deveriam estar, de uma forma lógica e sustentada, interligadas? É impressão minha ou tudo isto não passa de medidas avulsas e estanques para português ver? É que governar assim é muito mais fácil.

Armas

Mais uma pessoa foi morta devido a um tiro de caçadeira. Por acaso era um candidato autarquico de 36 anos e o motivo foi um diferendo sobre a obstrução de um lugar de estacionamento.

Não vou falar do acto em si ou do que o originou, mas sim da arma do crime. Uma arma que pela sua natureza, muito provavelmente estaria legalizada para a caça. As autoridades competentes têm de aumentar, e muito, os níveis de exigência para emitirem licenças para uso de armas de fogo. Não basta olhar para uns papeis, ver o registo criminal limpo, receber o dinheiro e já está. Os distúrbios de foro psicológico, social ou outros não vêm escritos na nossa documentação. Já bastam as armas ilegais que por ai andam.

A ele ninguém o cala

O poeta avançou para Belém e eu acho muito bem. Desde a 1.ª hora que ele se tinha disponibilizado para este confronto e, enquanto não lhes foi inconveniente, o próprio PS admitia dar-lhe o seu apoio. Depois foi o que se viu: facada do PS, facada do Soares e parecia que o candidato antes de o ser já não o era. Mas como a ele ninguém o cala, ai está Manuel Alegre como candidato à Presidência da República mesmo sem o apoio do partido do qual é membro prestigiado.

Eu acho muito bem. Não vou votar nele, nem gosto muito dele mas acho muito bem. Só tenho pena na apresentação da sua candidatura tenha manifestado os seus objectivos pela negativa, ou seja, é candidato não em prol de algo mas contra Cavaco Silva. Mas como já ouvi alguém dizer: se só existissem estes candidatos já assumidos, provavelmente votava Alegre.

sábado, setembro 24, 2005

Grande vergonha

Antes de mais tenho de dizer que pensei intitular este post de "Pouca Vergonha" mas depois pensei melhor e mudei de ideias. Isto não foi uma "pouca vergonha" mas sim uma "grande vergonha".

A começar com o circo mediático do regresso de Fátima Felgueiras, passando pela sua libertação (não esqueçamos que lhe foi aplicada a medida de coacção de TIR, a mesma que se aplica a um qualquer carteirista, e a proibição de sair do país - como se ela tivesse algum problema em o fazer). Esta foi a decisão da justiça e da qual eu me envergonho como cidadão. Para finalizar, a dita cuja é candidata autarquica e, por incrível que pareça, já está à frente nas sondagens.

Realmente, um povo desta natureza não merece mais que uma justiça assim. Quem vota, hoje, naquela mulher será um digno cidadão da famosa República das Bananas, ou seja, terá o cérebro igual ao de um macaco.

segunda-feira, setembro 19, 2005

Sempre a "bombar"

Depois de pedida a devida autorização a Bárbara Guimarães, Manuel Maria Carrilho vai passar 24 horas acordado a cicular pela cidade de Lisboa para, diz ele, aferir das várias realidades existentes na mesma.

A iniciativa chama-se "24 horas ao ritmo da cidade" e, apropriadamente ou não, terá inicio no Bairro do Rego. Espero que a seguir não tenha a ideia de ir para o Parque Eduardo VII.

terça-feira, setembro 13, 2005

Frase do fim-de-semana

Ana Maria Ribeiro, actual presidente da Câmara de Salvaterra de Magos, e candidata à reeleição pelo BE, proferiu este fim-de-semana aquela que julgo uma das mais "curiosas" afirmações desta pré-campanha:

"A politica deve ser feita de forma séria e sem demagogia."

Ou esta senhora é uma grande mentirosa ou então não conhece a coligação politica pela qual se recandidata. É que na politica portuguesa ninguém é menos sério e mais demagogo que o BE.

sábado, setembro 10, 2005

Faltava este

Depois do meu post “Cocó, Ranheta e Facada” na qual manifestei a minha opinião sobre os, até agora, assumidos candidatos à Presidência da Republica, nunca pensei que isto viesse a acontecer.

Consta que José Maria Martins, advogado do Bibi no processo da Casa Pia, pretende apresentar a sua candidatura a essa mesma corrida. Com a entrada em cena desta personagem fiquei sem saber como qualificá-lo.

Seboso, remeloso………não sei. Ajudem-me.

Triste país

Triste do país cujo Primeiro-Ministro (PM) não tem nada para fazer e disponibiliza o seu dia para ir assistir à implosão de dois prédios velhos que vão abaixo para que nesse local se edifique um empreendimento turístico projectado por um grupo económico privado.

Triste do país quando esse PM é convidado a carregar na alavanca que vai despoletar todo o processo de implosão e, na hora H, sua excelência morde a língua tal qual um miúdo que vai fazer uma traquinice.

Mais triste fica o país quando se vem a saber que tudo isso foi uma encenação para “português ver” porque, na realidade, a verdadeira ordem de implosão foi dada por outra pessoa, em outro local.

Triste país.

terça-feira, setembro 06, 2005

Digno do terceiro mundo


Era uma vez uma senhora de 26 anos que namorava um rapaz de 16 (!!) e o convidou para ir morar com ela. Esta senhora tinha um filho de 6 anos que era mudo e amblíope.

Desde essa mudança que a criança começou a levar grande tareias que lhe eram dadas pelo companheiro da mãe até que um dia, ontem, a criança faleceu porque não suportou a ultima carga de pancada que lhe foi aplicada. Os vizinhos sempre souberam o que se passava dentro daquelas 4 paredes e nunca denúnciaram a situação às autoridades.

Esta história não se passou no Sudão mas em Caxias, Oeiras, Lisboa, Portugal e o miúdo chamava-se Daniel.
Depois do impacto mediático do triste desaparecimento da Joana, no Algarve, estas coisas continuam a acontecer neste país com uma habitualidade impressionante.

Não me vou manifestar sobre a mãe o respectivo companheiro sob pena de me chamarem carniceiro, mas quando é que os vizinhos e todos aqueles que lidam de perto com estas situações vão aprender a denúncia-las? Quantas mortes mais irão acontecer até mudarmos esta nossa atitude de não se meter no que passa na casa dos outros (se não for para fofocar, claro), quando crianças são espancadas lá dentro?

Cócó, Ranheta e Facada

Gerónimo de Sousa, Francisco Louçã e Mário Soares são, até ao momento, os únicos candidatos assumidos à Presidência da República.

Se cada povo tem os politicos que merece, então, lamento informar mas os portugueses não valem nada.

Gigante de papel


quarta-feira, agosto 31, 2005

O favor de Soares

Está confirmado: Mário Soares é candidato nas próximas eleições para eleger o PR. Durante o anúncio dessa decisão foi curioso ver a cara de felicidade de Sócrates. Com a formalização desta candidatura o PS, independentemente do resultado das eleições, jamais sairá derrotado. Ora, depois de ter perdido Guterres e Vitorino e quando já se estaria a conformar com eventuais candidaturas que lhe traria a derrota certa (Alegre e até Freitas), Mário Soares fez o favor ao PS de se disponibilizar para mais este combate eleitoral.

Se ganhar, ganha Soares e também ganha o partido, mas se perder, e atendendo a sua condição de histórico da politica nacional, só Soares será o derrotado.

Com isto, o PS passa de um partido derrotado à partida para as presidências para a condição de um partido com só tem a ganhar com essas eleições. Se Soares perder, perde sozinho.

terça-feira, agosto 30, 2005

Até a "Katrina" ajuda


Como se já não bastassem as contingências politico-económicas mundiais para inflaccionar o preço do barril de petróleo, hoje, com a ajuda do furacão "Katrina" que paralisou a extracção no Golfo do México, esse preço passou pela 1.ª vez a barreira dos 70 dólares.

Agora só faltam as pragas de gafanhotos atacarem a extracção nos EUA e as tempestades de areia suspenderem a produção dos paises árabes.

Realmente, quando as coisas nos correm mal, até os cães nos mijam em cima.

domingo, agosto 28, 2005

Alta Autoridade?

Sempre entendi que a Alta Autoridade para a Comunicação Social (AACS) é uma daquelas entidades que não servem para nada a não ser gastar um orçamento anual que resulta das contribuições fiscais de todos nós. Aliás, a prática desta entidade (chamar-lhe instituição seria um elogio) sempre foi estranha pois detêm um vasto conjunto de competências sobre uma vasta área mas, na prática, parece que só apresentam trabalho de vez em quando para que não nos esquecermos que eles existem.

Depois da vergonha que foi o tempo que demoraram a pronunciarem-se sobre a entrada do Joaquim Oliveira no mundo da comunicação social (em que expiraram todos os prazos legais a que estavam obrigados), e quando eu pensava que não podiam fazer pior, foi hoje conhecida a decisão sobre um programa da SIC chamado "Bar da TV". Como eu não sabia muito bem que programa era esse fui averiguar e descobri que foi um programa que deixou de ser emitido em 2001. Sim, leram bem, 2001.

Estes senhores demoraram 4 anos para analisar a legalidade de um programa e determinar a eventual sanção a aplicar. Confrontado com esta demora, um representante da AACS respondeu que o prazo de prescrição era de 5 anos, logo, a decisão foi tomada atempadamente. Ainda bem que não tinha um prazo de prescrição de 20 anos senão teriamos de aguardar mais 15 para ouvir a decisão destes senhores. Seria o mesmo que sancionar, hoje, a RTP pelo teor do 108.º programa da série "TV Rural", apresentado pelo saudoso Eng.º Sousa Veloso em 11 de Março de 1986.

Palhaços.

quinta-feira, agosto 25, 2005

É normal mas é no Uganda.

Confrontado com o facto de 45% dos desempregados deste país não se encontrarem a receber o seu subsídio de desemprego por atrasos dos serviços, o Ministério veio a terreiro dizer que estes números são normais.

O que não devia ser normal era os nossos governantes admitirem, expressamente, que são uns incompetentes conformados.

quarta-feira, agosto 24, 2005

Será que estão a ficar inteligentes?

Mais de metade dos norte-americanos consideram-se mal informados pelo exército e pelos media sobre questões de segurança nacional, segundo uma sondagem da empresa Gallup divulgada esta quarta-feira.

quinta-feira, agosto 18, 2005

O regresso do turista


O nosso PM voltou de férias e, logo à chegada à Portela, chateou-se com o António Costa. Estão este ficou como seu substítuto, e durante a ausência de Sócrates nada fez?

É que o Sócrates não conseguiu regressar de TGV porque a linha europeia ainda não chega a Portugal.
Veio de avião e quando esperava aterrar na Ota, aterrou na Portela porque ainda não construiram o novo aeroporto.
E como se tudo isto não bastasse, depois daqueles dois telefonemas do Costa por causa dos incêndios que lavravam no país, e que tanto preocuparam Sócrates que ele nem conseguiu ir para a piscina do hotel nessa tarde (e estavam mais de 40º), quando aterra na Portela, o Engenheiro verifica que toda a área envolvente ainda se encontra verde. Ou seja, não passou tudo dum grande alarmismo do seu substítuto para lhe tentar estragar as férias.

O sacana bem se esforçou, pensou Sócrates, mas não conseguiu. E da próxima vez vou para a Polinésia, que é mais longe ainda.

quarta-feira, agosto 17, 2005

Que país este .......

Arguidos candidatam-se a presidentes de Câmara e têm grandes hipóteses de serem eleitos.
O país arde mas o Primeiro-Ministro não abdica dos seus safaris em África.
Mário Soares pode vir a ser o próximo Presidente da Républica.
A TVI lidera as audiências em horário nobre.
Os D`ZRT lideram a tabela nacional de álbuns.

Porra, que sina.

quarta-feira, agosto 10, 2005

Benfica à Veiga

O Benfica que se cuide: José Veiga foi para o clube numa fase muito complicada da sua carreira de empresário de futebol, na qual estava (e está) a acumular problemas com a justiça.

Este defeso tem conduzido um conjunto de negociações para aquisições de jogadores (de renome internacional, segundo os dirigentes encarnados) para o clube cujo resultado final têm sido um fracasso total. Kalou é só mais um exemplo, mas que tem as suas particularidades. Depois de assumir um interesse expresso no jogador e enquanto diziam que ele já tinha sido adquirido por um Fundo (está na moda) para ser cedido ao Benfica, eis que é apresentada uma queixa à policia holandesa por falsificação de documentos neste processo. Mais grave: uma das assinaturas apostas nesses documentos é de um português mas é ilegível.

O facto de estar envolvido neste processo só degrada a imagem do Benfica, e tudo, creio eu, por mais uma vez estar a ser usado para interesses particulares daqueles, tal como outros no passado, assim que sairem do clube vão presos. Leiam lá bem a tal assinatura ilegível dos contrato e pode ser que consigam perceber "José" qualquer coisa.

terça-feira, agosto 09, 2005

Pancadaria na pré-campanha

Existem noticias que me fazem rir. Não posso deixar de imaginar os homens a insultar-se, à pancada e uma das mulheres metida ao barulho, tudo por força da campanha para a presidência da Junta de Freguesia de Marinha das Ondas, concelho da Figueira da Foz.

Se esta prática se difunde e ganha contornos de elemento decisivo para a vitória das próximas autarquicas, já temos vencedor assegurado: a CDU. Não creio que nenhum dos outros presidentes partidários tenha "cabedal" para o Gerónimo de Sousa. O Sócrates é muito doce, o Mendes muito pequeno, o Louçã muito esquisito e o Ribeiro e Castro, apesar do porte considerável, não deve fazer frente ao camarada Gerónimo.

Se estes diferentos fossem decididos assim, num "combate de chefes", ao menos a campanha seria muito mais animada.

sexta-feira, agosto 05, 2005

Incêndios

Mais uma vez o país está a arder. Mais uma vez esta semana, mais uma vez este mês, mais uma vez este Verão e mais uma vez este ano. Perante as vergonhas anuais que acontecem sempre nesta altura do ano, eu estranho que ainda existam pinhais em Portugal para arder.

Na condição de mero cidadão e sem qualquer tipo de conhecimentos previligiados nesta área, proponho um exercicio de enumeração de medidas que, não sendo infaliveis para acabar uma questão tão complexa como esta, tenho quase a certeza que iriam minimizar imenso esta tragédia. A ordem das mesmas é meramente alietória.

1 - Responsabilizar politicamente, e na proporção da gravidade dos incêndios, o respectivo Ministro e sua equipa por não tomarem medidas concretas (e não teóricas) de prevenção desta calamidade.
2 - Investir em meios públicos de combate a incêndios através da conversão de equipamento militar obsoleto e aquisição de meios aéreos especializados para esse fim (serão, concerteza, mais baratos e mais úteis que submarinos), retirando essa tarefa aos privados.
3 - Responsabilização efectiva dos proprietários que não fazem a manutenção devida aos seus terrenos.
4 - Imperatividade de reflorestação de todas as áreas ardidas.
5 - Proibição de, num período nunca inferior a 20 anos, alterar qualquer Plano Director Municipal de modo a permitir urbanizar áreas que sofreram incêndios.
6 - Condenar criminalmente, de forma célere e implacável, todos os incêndiários e todos aqueles que possam estar, de forma directa ou indirecta, envolvidos em incêndios.

Com a implementação destas 6 medidas, cuja complexidade e custo não me parecem absurdos, de certeza que o número de incêndios iria reduzir drásticamente.

Mais uma razão


O ex-PM, Pedro Santana Lopes, em entrevista ao jornal "Expresso" e analisando o mais que provável confronto presidencial que se aproxima (Cavaco vs Soares) afirmou que, pessoalmente, identifica-se mais com Mário Soares que com Cavaco Silva.

Perante esta observação, e se mais dúvidas houvesse, só há uma coisa a fazer: votar Cavaco Silva.

segunda-feira, julho 25, 2005

Mini-férias

Porque o corpo também necessita de descanso, lá vou eu de férias durante uma semana.
Espero que, até ao meu regresso, não sejam convocadas eleições antecipadas.

sábado, julho 23, 2005

Socorro


Segundo o Diário de Noticias, Mário Soares pondera recandidatar-se a Belém.

(Des)Governo

Uma pessoa não se pode ausentar uns dias do blog sem que, entretanto, não haja uma alteração no Governo. Depois do "circo" santanista, estamos agora perante um novo espectáculo de entretenimento.

Começa com o MNE a mandar mais uns bitaites de forma a ter uma exposição na comunicação social que lhe dê o tal estatuto especial que ele acredita que tem dentro do Governo. Depois da opiniões pessoais, agora vieram mais criticas aos seus colegas e ao chefe do executivo que "não soube passar a mensagem" e que fez promessa eleitorais que nunca devem ser feitas.
A isto acrescentou a brilhante afirmação que a eventual eleição de Cavaco Silva para PR é "um potencial perigo para a estabilidade". Mas qual estabilidade? É que este Governo está cada vez mais parecido com o de Santana Lopes: não precisam de terceiros para se espalharem ao comprido.

Deve ter sido por causa de Cavaco Silva que o 1.º Ministro e o ex-Ministro das Finanças tinham, publicamente, estratégias politicas distintas para as finanças públicas. Foi por causa de Cavaco Silva que Campos e Cunha se foi embora alegando questões pessoais (ou saudades da reforma do Banco de Portugal), e foi substituido por um novo Ministro que promete seguir a mesma politica de rigor orçamental mas que concorda construir um novo aeroporto e trazer para Portugal o TGV.

Também deve ser por causa de Cavaco Silva que Freitas do Amaral não se cala. É que ele começa a constituir a maior causa de instabilidade no Governo e vai acabar por dar razão aqueles que sempre o consideraram "o elo mais fraco" do mesmo.

sexta-feira, julho 15, 2005

Greve ou fim-de-semana prolongado?

Adoro as greves às 6.ª feiras (ou às 2.ª, tanto dá). Por mais que possa ser um direito legitimo e mesmo que os trabalhadores tenham todas as razões do mundo para fazer greve, quando estas são convocadas para estes dias da semana perdem toda a sua credibilidade. Com este agendamento é claro que os trabalhadores ou os sindicatos que as convocam se estão a marimbar para a greve. Eles querem é ir de fim-de-semana prolongado.

Mas isto está a tornar-se quase um instituto nacional. As greves, especialmente as nacionais, tem de ser marcadas para as 2.ª ou 6.ª feiras. Se eu não soubesse, quase diria que isto é uma imposição da própria Lei da Greve.

Até ao exercermos um direito fundamental como o direito à greve nós não somos sérios: os trabalhadores vão para as praias apresentar as suas reivindicações às ondas.

quarta-feira, julho 13, 2005

Imoralidade

A Câmara Municipal do Seixal foi hoje condenada pelo Tribunal da sua Comarca a indemnizar a familia da criança que morreu quando caiu numa conduta de esgoto municipal que não estava devidamente selada. Para quem não se recorda do caso faço um pequeno resumo: a criança foi passear com a mãe junto ao rio e, de repente, caiu numa conduta de esgoto com vários metros de altura e, para além das lesões que sofreu na queda, acabou por morrer, permitam-me a crúa expressão, afogada na merda.

Perante esta fatalidade, a primeira iniciativa da autarquia foi "desviar" todas as responsabilidades para um seu funcionário (faz lembrar a história do miúdo que morreu electrocutado num semáforo em Lisboa, e tentaram responsabilizar somente o funcionário da manutenção). Em vez de assumir as suas responsabilidades de Município, a CM Seixal obrigou a familia da vitima a ter de recorrer ao Tribunal para exercer os seus direitos, com todos os transtornos que isso implica, nomeadamente, ter de continuar a reviver constantemente os factos ocorridos, para além do esforço financeiro inerente.

Hoje a CM Seixal foi, naturalmente, condenada a pagar à familia a quantia de € 250.000,00. Em vez de "meterem a viola no saco" e pagarem, e à falta de melhor argumento, já anunciaram que vão recorrer da sentença, não porque não existam fundamentos de facto e de direito para os condenarem, mas porque alegam que existe uma incompetência formal do Tribunal para os condenar.

Devem querer um estatuto especial só para eles (e para cobrir as suas borradas). Só falta alegarem que quem tem legitimidade para os julgar é a Associação Nacional de Municípios. Mais do que uma pouca vergonha, isto é uma imoralidade.

segunda-feira, julho 11, 2005

"Silly Season"

O meu tempo para vir cá postar não tem sido muito mas tem sido com muito agrado que tenho visto que esta "silly season" tem satisfeitos as minhas expectativas que, diga-se de passagem, eram elevadas. Senão Vejamos:

Começamos com o Governo a apresentar um Orçamento Rectificativo que, dois dias depois, teve de ser rectificado porque as contas estavam mal feitas. Ficamos a saber que estes senhores têm a mesma capacidade que o Governo anterior para fazer Orçamentos, o que desde logo nos deve tranquilizar.
Aguardo ansiosamente pelo Orçamento do ano que vem.

Por outro lado, temos as sondagens a dar vitórias a todos os arguidos que sejam candidatos a Presidentes de Câmara por esse pais fora. Isaltino, Major, Avelino, e até a Fátima Felgueiras se quiser, são dados como vencedores nos respectivos municipios a que se candidatam. Mais do que a ética dos politicos, este resultado demonstra a inteligência dos eleitores.
O próprio PS, verificando esta tendência, foi mais longe e resolveu apresentar como seu candidato à CM de Moita, não um arguido, mas uma senhora que já foi condenada pela prática de crimes praticados enquanto Presidente daquela Câmara, e nessa qualidade. É vitória garantida.

Para lá do mar, no feudo da Madeira, o Alberto João deu mais uma vez azo à sua verborreia e resolveu começar a insultar os emigrantes (com especial dedicatória aos chineses, indianos e do leste da Europa). O que torna esta enormidade ainda mais absurda é o factos dos seus servos (os madeirenses) serem um povo eminentemente emigrante, seja para a África do Sul, seja para a América do Norte.
Um dia destes ele morde o rabo e morre envenenado.

O BE continua a sua santa cruzada para provar que não existiu "arrastão" na praia de Carcavelos. Até já têm deputados, que ao abrigo da condição de jornalistas, mentem às autoridades para lhes extrair e deturpar declarações que satisfaçam os seus interesses.
Quanto às próximas cruzadas do BE já estão programadas: não existe crime em Portugal, o terrorismo é uma invenção dos media e o homem nunca pôs um pé na Lua. Esta ultima foi uma encenação dos americanos para nos enganar e mostrar uma superioridade tecnológica que, afinal, eles não possuem.

Por fim, e na sequência dos ataques terroristas em Londres (o BE diz que quem pôs as bombas foi o MI16), Mário Soares veio a correr para a comunicação social mandar mais uma "posta de pescada" das suas (estão tão podres que cheiram cada vez pior). Na brilhante opinião deste senhor, o terrorismo deve ser combatido pelo dialogo.
Ora, vejamos: aqueles animais que colocam bombas em transportes públicos com o único intuito de matar cidadãos inocentes, e tentam justificar o injustificável com uma deturpação total do texto de um livro religioso como o Alcorão, serão convencidos através do diálogo.
Assassinos sanguinários que disfarçam a sua natureza colocando uma postura de idealistas (ou mártires, ou outra coisa qualquer que pareça bem), abdicarão do sabor a sangue que lhes é tão saboroso, através do diálogo do dr. Soares. Deste modo, a única forma de eles pararem será se o Soares os conseguir adormecer com a conversa antes de eles, literalmente, lhe cortarem a cabeça.

sexta-feira, julho 01, 2005

Realmente é estranho

Isaltino Morais declarou hoje que acha estranho ter sido constituído arguido durante o período de pré-campanha eleitoral. Eu também acho. Eu, tal como ele, sempre pensei que esse era um período de impunidade absoluta.

Então, lá porque o homem cometeu alegados crimes (quais não diz, julgo que por vergonha) com que direito é que o Ministério Público vem agora tentar estragar-lhe a vida (leia-se "tacho")? Então o homem não é um politico a tentar exercer as suas nobres funções dedicadas à causa pública?

Depois de terem feito o mesmo ao Major, agora é o Isaltino e para cúmulo da pouca vergonha só falta que o Ministério Público ainda venha a acusar o Avelino Ferreira Torres da prática de um qualquer crime que ele, coitado, nunca seria capaz de cometer.

quarta-feira, junho 29, 2005

Dê-se amendoins à esquerda

Depois de uma fase inicial do seu mandato em que inexplicavelmente pretendia agradar à esquerda, o Governo fez do aborto quase que um desígnio nacional em deterimento de outras questões, a meu ver, muito mais permentes.
Quando, finalmente, foi obrigado a tomar medidas que visam combater a difícil situação económica em que o nosso pais se encontra, o Governo viu a contestação alastrar aos mais variados sectores da nossa sociedade e viu, também, os partidos ou entidades (essencialmente) da esquerda virem para o palco da rua e da comunicação social mobilizar o maior número de pessoas para as suas causas (e contra o Governo, claro).

Então, para atenuar este cenário antes que ele se torne catastrófico para as eleições autarquicas que se aproximam (correm o risco de não voltar a ganhar em nenhuma das 3 cidades mais importantes do pais), um qualquer estratega "brilhante" do PS resolveu trazer para a ordem do dia e como uma das prioridades do Governo uma questão que, pensava eu, estaria momentaneamente esquecida: o aborto.

Face a esta intempestividade só posso concluir uma coisa: o Governo quer calar a esquerda e as suas contestações. Só que esta questão do aborto não vai ter grandes desenvolvimentos e ficará, mais uma vez, guardada na gaveta como um trunfo para apresentar da próxima vez que houver contestação às suas politicas. Esta falta de respeito leva o Governo a tratar o aborto como amendoins e a esquerda como macacos: para calar os segundos atiram-se-lhes os primeiros.

sexta-feira, junho 24, 2005

quinta-feira, junho 23, 2005

Cada vez mais quente

Como se já não bastasse este calor sofucante, os policias, os professores, os juizes, os funcionários judiciais, os trabalhadores dos transportes públicos, etc., toda a gente resolveu aquecer um bocadinho mais o ambiente. Até os sacanas dos incendiários já se andam a manifestar.

Prevejo um longo e quente Verão em Portugal.

segunda-feira, junho 20, 2005

Pitósgas com insolações


Parece que afinal não existiu nenhum arrastão em Carcavelos. Existiram alguns (poucos) assaltos e a grande confusão que esta e outras imagens retratam resultou da fuga precipitada dos veraneantes que se assustaram. Aliás, aqueles que vão a fugir com sacos nas mãos são, na sua quase totalidade, os donos dos respectivos.

Consequentemente, parece que o corpo de intervenção da PSP não compareceu no local (afinal de contas eram necessários para quê?) e nem a marginal foi cortada ao trânsito. Aqueles que dizem o contrário foram vitimas de uma alucinação originada por excesso de sol na cabeça (são conhecidos os malefícios deste sol mas mesmo assim o povo não se previne).

Quanto aos outros, como eu, que viram o sucedido pela TV, são pitósgas. A crise económica que afecta o pais não nos permite ir às consultas de oftalmologia que necessitamos e, como tal, "não vemos um boi" ou, no caso em concreto, vemos mal.

Detesto a Ferrari

Na ultima prova de F1 realizada em Indianáplois (EUA), a Ferrari abstraiu-se dos problemas surgidos com as equipas que utilizavam pneus Michelin e participou na corrida. Apesar de utilizar pneus Bridgestone, era bonito a Ferrari não participar para não sair favorecida face aos seus concorrentes directos no campeonato.

Se isso tivesse acontecido, teriamos tido o 1.º português a ganhar um grande prémio de F1, seria feriado nacional na 2.ª feira, os comentadores continuariam a dizer que ele tem estado a fazer uma "época fabulosa", qualificando-se sempre entre os 3 primeiros (a contar do fim, claro), e para o ano o Tiago Monteiro seria agraciado com uma medalha no 10 de Junho. E isto tudo não aconteceu por culpa da Ferrari. Detesto-os.

sexta-feira, junho 17, 2005

Criminalidade versus Racismo

Na sequência dos incidentes ocorridos a semana passada na praia de Carcavelos fez-se um sem número de observações das quais eu fiquei à parte porque falta de disponibilidade para vir para aqui postar. Não vou agora debruçar-me sobre o assunto mas a manifestação que vai haver amanhã no Martim Moniz leva-me a fazer algumas considerações.

Não sou daqueles que tem algum receio de manifestar a sua verdadeira opinião sobre o assunto com medo que lhe chamem racista. Sem me alongar muito posso dizer que quando revejo mentalmente aquelas imagens que passaram na televisão, as primeiras duas coisas que me vêm à cabeça é gasolina e um fósforo e mais não digo para não chocar certas pessoas.

Também não concordo com aqueles que perante factos daquela gravidade resolveram fazer pseudo-análises sociológicas que imputam à nossa sociedade a existência de marginais daquela natureza. Por essa ordem de ideias, essa teoria seria válida para todos os criminosos, independentemente da raça, credo ou motivação, e levar-nos-ia a tolerar estas situações porque, no fundo, a culpa não é (só) do criminoso mas também nossa porque criamos uma sociedade que o marginaliza.
Ou seja, tretas.
Aqueles animais que vimos na televisão não prestam. O facto de serem criados no Sudão, em Portugal ou na Suécia não altera significativamente a sua maneira de estar na vida. Acredito que se lhes fossem facultadas oportunidades melhores de vida, quando muito, adiariamos um problema que eles inevitávelmente acabariam por criar quando algo lhes corresse mal (como corre de vez em quando a qualquer pessoa).

Perante isto, só faltam mesmo aparecerem os grupos de extrema direita, como a Frente Nacional (FN), que, ao abrigo de uma boa causa, como o combate da criminalidade, tentam difundir e reforçar os seus ideais aberrantes e a sua veneração a um mentecápto assassino como Hitler. É curioso que indivíduos que perseguem e agridem pessoas na rua (como fazem no Bairro Alto, em Lisboa) em função da raça destas ultimas e às vezes nem isso, agridem por agredir os que tiver o azar de se cruzar com eles na rua, é curioso, repito, que estejam agora tão empenhados em combater a criminalidade. E inocentemente vão manifestar-se para a zona de Lisboa que é mais frequentada por emigrantes, na sua maioria de origem africana e asiática. Aqueles rapazes estão, nitidamente, bem intencionados.

Uma palavra final para a Governadora Civil de Lisboa que autorizou esta manifestação. Diz esta senhora que o pedido de autorização não foi subscrito por nenhuma entidade de extrema direita, nomeadamente, a FN. Foi subscrito sim, continua ela, por 3 cidadãos a titulo individual. Esqueceu-se foi de dizer que que assinou essa petição foi o Chico "Careca", o Manel "Biqueira de Aço" e o Beto "Navalhadas".
Realmente, a forma de funcionamento de muitas das nossas entidades públicas é surreal e irresponsável. Esta senhora ainda acredita no Pai Natal e que não deve tomar banho enquanto estiver com o período sob pena de ficar estéril.

segunda-feira, junho 13, 2005

O politico e o poeta

O tempo para vir cá não tem sido muito mas hoje era inevitável: morreram Álvaro Cunhal e Eugénio de Andrade. Poucas vezes na nossa história tivemos um dia em que, ao mesmo tempo, desaparecessem dois vultos que tanto deram de si a Portugal.

Álvaro Cunhal foi uma figura incontornável do século XX. Mesmo para aqueles que não partilhavam as suas ideologias, e muitas vezes métodos, como é o meu caso, sempre senti por ele uma certa admiração. Pela sua inteligência,convicções e coerência era uma homem diferente. Foi o único politico com o qual não partilhei ideais mas que, sempre que pude, fiz questão de ouvir falar (ao contrário de outros que me faziam, e ainda fazem, impressão nos ouvidos). Relembro, ainda, o homem multifacetado que viveu para além da politica e nos deixa também uma obra literária e uma obra plástica como legado.

Quanto a Eugénio de Andrade, foi "só" o mais importante poeta português do século XX a seguir a Fernando Pessoa. Foi um homem predestinado para a poesia, e nem as suas origem rurais num Portugal ancestral foram o bastante para o impedir de se revelar como um dos mais importantes, creio que sem exagero, poetas da história de Portugal.

A ambos presto a minha singela homenagem e digo obrigado.

quinta-feira, junho 02, 2005

Faz o que eu digo......

Hoje veio a público que o Governo está a ser pressionado por ilustres deputados (sem qualquer pingo de vergonha) de todos os quadrantes politicos para recuar na sua pretensão de retirar regalias a essa classe, nomeadamente, as reformas vitalicias. Presumo que com o intuito de nos tranquilizar, o Ministro da Finanças veio dizer que o Governo não vai alterar nenhuma medida que pretenda aplicar mas realçou que ainda nada está decidido porque o assunto está a ser estudado.

Boa. Agora é que eu fiquei tranquilizado.

quarta-feira, junho 01, 2005

Reformou-se


Pois é, o homem reformou-se. Foi hoje publicado em Diário da República que Alberto João Jardim passou à reforma e por esse facto vai começar a receber a sua reforma de, sensivelmente, € 4.000 por mês. Mas não tenham ilusões: ele não vai deixar a actividade politica, pelo contrário, por não haver incompatíbilidade vai continuar a exercer todos os cargos politicos que possui.

Em bom rigor, é mais um a acumular receitas de várias naturezas sendo que todas elas saem do erário público, ou seja, dos nossos impostos.

terça-feira, maio 31, 2005

O Não francês

Por mais que se tente desdramatizar estes resultados do referendo francês, face à importância que a França tem na UE e a forma inequívoca como o "non" venceu, estamos perante uma situação muito grave. E é muito bem feito.

Antes de mais quero deixar bem claro que eu sou a favor da UE, e até sou receptivo à existência de uma Constituição Europeia, mas no que respeita a esta questão o que os politicos de Bruxelas (sim, aqueles que nós elegemos) tem feito é "marimbar-se" para os cidadãos da Europa. E aqueles que se deram ao trabalho de expor devidamente as suas posições já ganharam um refendo e vão ganha outro na 4.ª feira na Holanda.
Os defensores do "sim" têm de começar a explicar aos cidadãos porque é que nos é mais favorável alterar a nossa situação politico-constituicional actual por uma outra cujo teor e, fundamentalmente, implicações futuras desconhecemos. Os defensores do "não" apresentaram a versão deles, com todos os maleficíos que eles dizem que existem, e dai já tiraram dividendos. Os defensores do "sim", nomeadamente os portugueses, que têm o ónus do seu lado pois são eles que querem alterar a situação actual, ainda não se deram ao trabalho e continuam a tratar-nos como cordeiros que na hora de votar vamos obedecer às posições adoptadas pelos nossos respectivos partidos.

Pela parte que me toca, estou decidido: ou me explicam muito bem o teor e implicações que esta Constituição trará para o pais, bem como, as grandes qualidades que ela deve ter ou vou continuar a preferir a "velhinha" Constituição da Républica Portuguesa que, apesar de carregada de recalcamentos do PREC, é nossa e tem servido muito bem.

sábado, maio 28, 2005

Não se pode ter tudo

A autoridade de saúde norte-americana, "Food and Drug Administration", está a investigar a possibilidade do uso reiterado de viagra puder afectar a visão. Esta investigação resulta de queixas apresentadas por utilizadores desse medicamento que têm sentido perdas de visão.

A confirmar-se esta suspeita, os utilizadores de Viagra serão postos perante um grande dilema: ou vão continuar a apreciar a beleza feminina em todo o seu explendor mas não terão a capacidade fisica de responder às suas pretensões, ou vão andar para ai cheios de força mas sem fazerem a miníma ideia de onde é que se andam a meter pois "não vêem um boi" à frente.

terça-feira, maio 17, 2005

O Sácí

O animal andava muito quieto. Não andava errante, não proferia (muitas) asneiras nem nos fazia rir como é da sua natureza. Quando muitos já viam neste novo Kumba Ialá um homem que poderia, de novo, ser o líder daquele país que necessita de muita estabilidade para sair da grave crise em que se encontra, ele resolveu denunciar o seu verdadeiro ser e autoproclamar-se Presidente da Guiné e reassumir as funções das quais já tinha abdicado. E tudo isto quando já há novas eleiçoes agendadas.

Realmente não há nada a fazer com este animal. Um sácí, enquanto tiver a sua bóina, será sempre um sácí e essa será a sua natureza.

quinta-feira, maio 12, 2005

À la minute

Depois da redução das férias judiciais, o Governo segue a sua senda de medidas mediáticas, inócuas e, quiçá, com efeitos perversos. Agora pretendem que se possa constituir uma empresa num dia. E inteiro, ainda por cima. Estou curioso como é que todo este processo se irá desenrolar e como é que irão interagir todos as entidades públicas que obrigatóriamente têm de intervir neste processo (são, pelo menos, 5 sendo que uma delas intervém em 2 momentos distintos). Ou então o Governo está a pensar em dispensar algumas delas e, desse modo, aligeirar todo o processo de garantia da legalidade do acto.

E é aqui que "a porca torce o rabo". Num pais onde a maioria das sociedades são constituídas, não para serem um projecto duradouro, mas para durarem um limitado período de tempo (seja por questões fiscais ou até mal intencionadas), o Governo ao pretender resolver um problema sujeita-se a criar um muito maior e com mais graves consequências, seja para a própria tesouraria da fazenda pública seja para os credores que resultam das transacções comerciais.

Sejamos claros: a seriedade empresarial não é colocada em causa pelo facto de uma sociedade comercial puder demorar, no mínimo, 3/4 semanas a constítuir. Estas pressas são essencialmente úteis aqueles cujos propósitos não serão os mais honestos. E se este problema da proliferação de sociedades se tornar incontrolável proponho que o Governo crie um modo que permita dissolver e liquidá-las num só dia. Será como apagar um fogo com gasolina.

terça-feira, maio 10, 2005

Ripa na rapaqueca


Prematuramente e de forma abrupta morreu o mais carismático relator desportivo português. O homem do "machimbombo", das "reviengas", do "quê que é isso ó meu?" e do "ripa na rapaqueca" deixou-nos a todos nós e concerteza vai deixar muitas saudades naqueles que seguiam os seus relatos na TSF. Jorge Perestrelo era um grande profissional e, mais que isso, um amante ferveroso do futebol e de Portugal. Das centenas de emissões que fez, e olhando somente para um passado recente, quem não se lembra do seu relato do Portugal-Inglaterra no ultimo Europeu?

Esteja onde estiver agora, de uma coisa eu tenho a certeza: vai continuar a marcar muitos golos com a sua "barriguinha". Bem haja.

sexta-feira, maio 06, 2005

Os proscritos

Depois de Isaltino Morais em Oeiras, agora é a vez do Major Valentim Loureiro garantir que se recanditará à presidência da Câmara de Gondomar independentemente do apoio, ou não, do PSD. Já se sabia que o bom-senso tinha desaparecido da politica nacional, mas eu tinha esperança que ele não tivesse sido substítuido pela falta de vergonha. E o que mais me assusta é que eles têm sérias possibilidades de, mesmo assim, ganhar.

Definitivamente deve ser muito bom se Presidente de uma Câmara Municipal neste país. Deve ser uma realização pessoal inanarrável e dar um prazer imenso trabalhar em função das causas públicas e em prol da comunidade.

Sem dúvida alguma, estamos perante bons e dedicados homens

Coração de LEÃO

Se o Sporting não me matar, nada nem ninguém será capaz de o fazer.

terça-feira, maio 03, 2005

Benfica é campeão

A 3 jornadas da Superliga comprova-se que o Benfica é o campeão nacional de futebol, época 2004/2005. O quê? Dirão alguns. Claro que é campeão, digo eu. Alguém tem dúvida. Alguém acredita que depois de andar tantas jornadas isolado no 1.º lugar o Benfica vai perder o titulo mesmo no fim? Isso ia gerar muitos problemas e desconfortos e isso não pode ser. Portanto, independentemente dos jogos que faltam realizar, nada nem ninguém poderá "tirar" o 1.º lugar ao Benfica. Nunca deixarão isso acontecer.

Depois de mais de uma década sem ser campeão nacional, e perante tanta pressão dos sócios e simpatizantes para que isso volte a acontecer, seria uma catástrofe para o clube e especialmente para os seus líderes, se o Benfica perdesse este campeonato que está quase na mão. E está quase na mão porque houve a preocupação de o pôr lá.

Senão vejamos:
1) Nas vésperas de ir à Luz, Hélton, seguramente um dos 2/3 melhores guarda-redes a jogar em Portugal, é expulso injustamente (não joga a bola com a mão fora da área como o árbitro alegou) e não pode jogar contra o Benfica. Joga o Costinha e, azar dos azares, faz o jogo da vida dele. Como o Benfica não conseguia marcar, no fim do jogo o árbitro transforma uma falta atacante numa falta do defesa e dai resulta o golo do empate com o União de Leiria;
2) Depois da polémica com o jogo realizado no Algarve, e quando já perdia por 1-0, o árbitro não vê uma falta dentro da área cometida pelo Ricardo Rocha (2-0 seria um resultado muito difícil de dar a volta). Mas mesmo assim, como o Benfica não consegue marcar, há que carregar os adversários com cartões amarelos. Um dos jogadores do Estoril acaba por ser expulso por acumulação de amarelos, sendo que destes, o primeiro tinha sido ridículo. O Benfica empata mas mesmo assim não consegue marcar mais golos e como o empate não serve expulsa-se mais um jogador do Estoril para facilitar a vitória ao Benfica e dar uma grande alegria áquele povo algarvio que foi ao estádio e que não podia ser defraudado. Quem vê a acção disciplinar que a equipa do Estorial sofreu naquele jogo pensa que eles são um bando de arruaceiros. Em nenhum jogo do campeonato tinham levado com tantos cartões;
3) Por fim: Belenenses na Luz. Curiosamente Marco Aurélio joga (sempre pensei que seria expulso no jogo anterior), e faz uma grande exibição. E mais uma vez o Benfica não consegue marcar. Então, inventa-se uma grande penalidade pois este tipo de livre directo tem grandes probalidades de ser convertido e foi isso que aconteceu. O Benfica ganhou 1-0. Não vale a pena referir o penaltí que não foi marcado por falta sobre o Nuno Gomes na 1.ª parte porque quem ajuizou esse lance foi o mesmo árbitro e o mesmo auxiliar que, na 2.ª parte, não viram o penaltí sobre o Lourenço e que implicava a expulsão do Ricardo Rocha. Ora, se isso acontecesse o Benfica ia a Penafiel sem a sua habitual dupla de centrais e isso, também, não pode ser.

Perante tudo isto, ou eu tenho muita imaginação ou realmente as coincidências existem.

terça-feira, abril 26, 2005

Justiças

A conjugação da justiça enquanto conceito abstrato e a administração da mesma é uma complexa tarefa que tem de ser levada a cabo pelas sociedades actuais. A gestão desta matéria é um dos factores que permite determinar o avanço civilizacional de um Estado.

Em Guimarães começou hoje o julgamento de um homem acusado de ter violado uma das suas próprias filhas. Esses factos remontam a 2002, altura em que a miúda teria 14 anos, e se for comprovada a sua culpa, o dito cujo está sujeito a uma pena de prisão (agravada pelo facto da vitima ser sua filha) que pode ir até ao máximo de 2,5 anos. Com bom comportamento está cá fora em ano e meio.

Na Filândia foi hoje detido um indivíduo que é acusado de ter tido relações sexuais com algumas centenas de crianças tailandesas (entre os 10 e os 13 anos) nos ultimos 15 anos, período durante o o qual viajou várias vezes para esse país. O julgamento deste senhor ocorrerá em finais de Maio (de 2005) ou princípios de Junho, e ele está sujeito a uma pena de prisão que pode atingir o máximo de 10 anos.

Tirem-se conclusões.

sábado, abril 23, 2005

O agricultor português


Numa altura em que tanto de fala de seca e das ajudas (para variar) que devem ser dadas à agricultura nacional, encontrei esta foto que me lembrou imediatamente a qualidade do investimento que tem sido feito no sector nos ultimos anos.

Conjungando a falta de fiscalização das entidades que atribuem subsídios com a "inteligência" que possuem grande parte dos profissionais dessa área, esta será a imagem cabal da agricultura portuguesa.
E não estou a falar daquele agricultor da "velha guarda", porque esse só recebe alguns subsídios por estar inscrito na cooperativa local e esta é que gere o processo. O agricultor, esse, nem faz ideia dos passos necessários para adquirir essas verbas. O problema está em muitos "quase novos" agricultores que se sabem mexer e são portadores da tão portuguesa esperteza saloia. São esses que se candidatam aos subsídios, plantam os produtos mas depois não os apanham porque esses custos (de apanhar a fruta e/ou legumes) não compensam face aos pequenos lucros da venda, logo, mais vale deixar esses produtos apodrecerem na árvore e comprar um veículo automóvel para apoio à agricultura. Entre o tractor ou o Portaro, a escolha tende a recair no Land-Rover ou, como no caso, no Audi Allroad.

Os espanhóis, pelo seu lado, criam projectos agricolas a longo prazo e fazem dessa actividade um dos motores da sua politica económica, e é também por isso que a sua agricultura está a anos-luz da nossa e o nosso mercado está completamente invadido pelos seus produtos. Só a quantidade de produção que fazem em estufas será, sem exagero, milhões de vezes superior à nossa prudução por esses mesmos meios.

Perante este cenário, o que é que o agricultor português diz? Vamos aprender com eles? Não. Diz que a fruta deles pode ser muito bonita mas não sabe a nada e a velha fruta portuguesa é que é boa. Especialmente se tiver uma minhoca lá dentro.

E já agora reinvindica mais um subsídiozinho.

quinta-feira, abril 21, 2005

Coincidência?

Será uma mera coincidência ou serão a mesma pessoa? Ou irmãos? Pai e filho?
Será que a nomeação de Bento XVI faz parte um plano complexo que visa dominar o universo?

terça-feira, abril 19, 2005

Bento XVI

Justify Full
Com a eleição do Cardeal Joseph Ratzinger para suceder ao Papa João Paulo II creio que a igreja católica perdeu uma boa oportunidade de optimizar o legado que foi deixado por Karol Wojtyla, bem como, nega a possibilidade de vir, proximamente, a adequar as suas posições em relação a questões que são incontornáveis nas sociedades actuais (contracepção, casamento dos padres, ordenação de mulheres, etc.), coisa que o Papa anterior se foi recusando a fazer.

Ao escolher um Papa da mesma linha, quiçá mais conservador e seguramente com menos carisma, a igreja católica perde uma oportunidade de ouro de congregar mais junto a si os seus seguidores ou até atrair mais fieis.

Eu posso estar errado, e só o tempo é que o dirá, mas creio que Bento XVI não é o homem certo para este momento.

quinta-feira, abril 14, 2005

O exemplo vem de cima

Soube-se agora que o Director-Geral dos Impostos, Paulo Macedo, quando foi nomeado para o cargo não tinha a sua situação fiscal regularizada. Só depois dessa nomeação é que este senhor foi regularizar a falta de uma contribuição autarquica referente ao ano de 2001 que não tinha liquidado atempadamente porque "não foi notificado para tal".

Tipicamente português: põe-se o lobo a guardar as galinhas e ainda se ouvem desculpas de mau pagador.

Paz podre


Quando Santana Lopes voltou para a presidência da Câmara Municipal de Lisboa parecia que essa "passagem de pasta" Carmona/Santana tinha corrido tão bem que Carmona Rodrigues ficou mal na fotografia e foi apelidado de "capacho" de Santana Lopes.

O tempo veio a revelar que o que parece por vezes não é. Agora andam às turras dentro da Câmara. A equipa de Carmona (que Santana prometeu não alterar) está a "passar pelas passas do Algave" e já começaram as demissões.

Não sei de quem será a culpa de toda esta situação mas, considerando os apoios públicos que Carmona Rodrigues tem recebido para se candidatar nas próximas autarquicas a presidente da CM Lisboa, em deterimento de Santana Lopes, fazem-me descofiar que este último já se está a desnortear e a fazer asneira sobre asneira.

domingo, abril 03, 2005

Karol Josef Wojtyla


Morreu o Papa João Paulo II. Desaparece assim uma das personalidade mais marcantes do século XX e um dos Papas com maior carisma na história da Igreja.

Ao contrário do que muitos irão dizer, porque de momento a tentação é grande em fazê-lo, apesar do seu pontificado ter sido muito positivo, João Paulo II não foi imune aos erros e, a meu ver, cometeu alguns e graves. Mas não é isso que importa neste momento. O que importa é reter a imagem do homem que, por exemplo, combateu os regimes totalitários do ex-bloco soviético, que tentou aproximar os jovens da sua igreja e, a meu ver o mais importante porque controverso, fomentou a aproximação da igreja católica às outras religiões (não esqueçamos que foi o 1.º Papa da história a entrar numa sinagoga e numa mesquita).

Karol Wojtyla morreu hoje e, apesar da religião nada me dizer, ele foi uma personalidade com a qual me acostumei a viver regularmente e será por isso, e pela boa imagem que dele guardo, que muito lamento a sua morte. Acredito, porém, que a morte deu-lhe a paz que ele há muito não tinha.

sexta-feira, abril 01, 2005

A questão Terri Shiavo


Terri Shiavo, a senhora cuja morte foi determinada por um Tribunal federal norte-americano, morreu hoje. Não pretendo vir para aqui discutir a eutanásia, ou direito à morte, porque julgo que a questão é demasiado complexa e, ao mesmo tempo, individual para dela tirarmos algo de conclusivo. Penso que esta questão é mais complicada que a famosa questão do aborto, e quanto a esta ultima já sabemos a "água pela barba" que ela dá.

Tenho, porém, uma certeza. Se eu estivesse no lugar da Terri preferia morrer. Quanto à opinião da Terri, e pelos motivos óbvios, ninguem soube e acabaram por ser os Tribunais a tomar a decisão final. Quanto aos pormenores que levaram a essa decisão, não conheço, mas mesmo assim aceito-a, porém, com uma reserva.
O meio: não havia outra forma de matar a senhora que não à fome? Porra, eles dão mais dignidade e menos sofrimentos áqueles que cometem crimes tão graves que são passíveis de pena de morte.

Penso que aqui eles erraram. A dignidade da cidadã Terri Shiavo exigia outra solução.

terça-feira, março 29, 2005

Primeiro aniversário

Infelizmente não me foi possível comemorar atempadamente mas no passado dia 25 o Ácido fez 1 ano. Desde os tempos em que esteve alojado no Sapo até à presente data muitas coisas aconteceram (até cairam 2 Governos). Com mais ou menos esforço tenho conseguido dar alguma atenção a este blog que começou por ser, somente, um lugar muito pessoal para eu colocar os meus pensamentos sobre questões que me chamam à atenção e que se tornou num espaço onde tento previligiar a interactividade que os blogs proporcionam.

A todos aqueles que me visitaram e, em especial, áqueles que se deram ao trabalho que deixar um comentário, o meu obrigado porque me motivaram a continuar a postar. Espero continuar por cá o tempo suficiente para comemorar outro aniversário, com o desejo que, para isso, não tenha de ver cair mais nenhum Governo.

quarta-feira, março 23, 2005

Os cotovelos do Benny


Existem jogadores de futebol que, pela arte que possuem, nós até lhes aturamos o mau génio (p.e. Cantona), e outros há que, a arte que possuem não compensa o seu mau génio. Benny McCarthy inclui-se neste ultimo grupo.

Nos ultimos 20/25 anos do campeonato não me lembro de existir um jogador com tanta agressividade para com colegas. Pudemos recuar no tempo e falar do Paulinho Santos, João Pinto, Fernando Couto, Mozer ou ir mais para trás e falar do André mas estes, apesar de duros e com mau feitio, cometiam os seus excessos a jogar à bola e contar-se-ão pelos dedos de uma mão as vezes que agrediram adversários de uma forma tão ostensiva. O Benny, só este ano, já vai na terceira cotovelada e se as outras duas não foram vistas pelos arbítros no momento, esta foi e num jogo que o seu próprio treinador tinha classificado de uma final para o FCP e ele obrigou os seus colegas a jogar com menos 1 durante uma hora.

Perante esta tão evidente falta de civismo/educação/carácter eu até propunha que lhe cortassem os braços para evitar que estas situações se repetissem no futuro, mas creio que tinham de os cortar bem rentes porque senão ainda o iamos ver a enfiar os cotos nos olhos dos adversários.

segunda-feira, março 21, 2005

Momento de cultura


A publicação de um livro de Gabriel Garcia Marquez, "Gabo" para os amigos, é sempre um momento que deve ser assinalado.

Este "Memórias de mi putas tristes" é um regresso do autor às histórias de uma América do Sul do século passado, onde a atipicidade do ambiente e dos personagens é-nos apresentada de uma forma simples mas espantosa.

Para terem uma ideia, o personagem principal é um velho jornalista de 90 anos que nos vai contar a sua longa vivência com prostitutas. Tão longa que nunca teve relações sexuais com uma mulher sem ter de lhe pagar, mas mesmo assim descreve a forma como, de certa maneira, as amou a todas. Recomendável.

Coitados dos animais


Ontem regressou aos nossos ecrãs o mais cinico programa da televisão portuguesa: A Quinta das Celebridades (será que conheço estas?).

Lá estarão os concorrentes fúteis a fingir que não são fúteis, os estupidos a fingir que não são estúpidos, os barrasquentos a fingir que não barrasquentos e aqueles que serão mais normais a adoptarem comportamentos fúteis, estúpidos e barrasquentos para serem aceites no grupo.

Enfim, um verdadeiro entretenimento.

quinta-feira, março 17, 2005

Não dá sinais de melhoras


Continuando a sua senda contra a sanidade mental, Mário Soares resolveu encontrar-se com representantes do partido Batasuna. Convém realçar que esta organização foi ilegalizada devido às comprovadas relações que mantém com a ETA que, por acaso e por mais que custe a alguns politicos e pseudo-intelectuais da nossa praça, é uma organização terrorista.
Manda matar pessoas.

Foi com "lado politico" desta organização que Mário Soares se resolveu encontrar. Fica-lhe bem. Faz-me lembrar os tempos em que ele ia visitar o seu amigo Benito Craxi à Tunisia, enquanto este era procurado pela policia italiana por ter fugido às autoridades quando foi condenado por um Tribunal italiano pela prática de variados crimes (corrupção, etc) enquanto lider do PS e do Governo locais.

Definitivamente, Mário Soares gosta de estar entre criminosos. Há quem diga que é por se sentir entre os seus.

sábado, março 12, 2005

Assim não, Sr. Ministro


O nosso novo Ministro das Finanças, Luís Campos e Cunha, veio defender que, se for necessário e concerteza sê-lo-á, irá aumentar o IVA de 19% para 21%, e consequentemente, todos os bens de consumo sofrerão uma acréscimo do seu valor de venda ao público por força do incremento da carga fiscal. Por outras palavras, vão ficar mais caros.

Perante esta proposta do Sr. Ministro, desde já quero fazer duas observações:
1) Durante a campanha eleitoral, quando era perguntado ao Eng.º Sócrates o que é que ele pretendia fazer para combater o défice, em vez dele ter respondido as banalidades e clichés que se conhecem, porque é que não disse que podia aumentar o IVA?
2) Porque é que o Sr. Ministro, em vez de andar já a pensar como é que vai aumentar as receitas fiscais, não nos propõe medidas para combate a despesa pública? Será por esta ser a medida mais fácil de tomar?

Parece que não estamos a começar bem Sr. Ministro.

sexta-feira, março 11, 2005

A operação do Maradona

Diego Armando Maradona, o melhor futebolista que tive o prazer de ver jogar à bola, foi sujeito a uma operação para que lhe fosse colocada uma banda gástrica para perder o apetite e, consequentemente, perder peso.

Eu não sei qual será a opinião dos médicos, mas eu propunha que, assim que ele se restabelecesse desta intervenção cirurgica, fosse sujeito a nova operação para lhe tapar os orifícios nasais.
Desconfio que assim acabavamos com todos os problemas do homem.

quarta-feira, março 09, 2005

Ele é como as baratas


Começou a chatear como Presidente de um clube de futebol, passou a chatear uma pequena cidade, depois uma grande e, para nosso azar e sem que ele saiba como, acabou a chatear-nos a todos com a sua inconsequência e incompetência. Com a queda do Governo e o péssimo resultado do PSD nas ultimas eleições legislativas só lhe restou uma saida: a porta (pequena) da rua.

Eu, ingenuamente, pensei que iamos deixar de ouvir falar dele durante uns tempos. Ora, parece que o homem quer voltar para a presidência da Câmara Municipal de Lisboa. Caramba, não há forma dele desaparecer da cena politica por uns tempos nem que seja para que nós possamos fazer a respectiva desintoxicação? O que é que ele quer fazer agora? O caminho inverso? Espero que não senão ainda volta para presidente do meu clube e eu não me livro dele tão cedo.

Um dia alguém disse que, se houvesse um holocausto nuclear só sobreviveriam dois seres: as baratas e a Cher. Eu discordo. Sobreviverá o Pedro Santana Lopes........ e talvez as baratas.

Dia Internacional da Mulher

Num dia tão especial como aquele que passou não queria deixar de felicitar todas as mulheres por aquilo que elas representam neste dia. É curioso ver maridos, namorados, filhos, amigos, etc. a passearem pelas ruas das nossas cidades de flor na mão para a ir entregar a(s) uma(s) das mulheres da suas vidas.

É bonito mas quero chamar a atenção para uma questão: enquanto este dia existir é porque elas são, realmente, um grupo social que continua a ser deferenciado e, em muitos casos, em deterimento de alguns dos seus direitos básicos enquanto cidadãs.

Enquanto me debruçar sobre esta questão, este será sempre um dia agridoce para mim.

P.S.: Para as três mulheres mais importantes da minha vida (mãe, mulher e filha), um beijo especial.

sábado, março 05, 2005

Coincidências?

Apesar de não ser a favor deste tipo de especulação, não resisti em publicar esta fotografia.

Factura liquidada


Durante a ultima campanha eleitoral Freitas do Amaral emitiu, em nome do PS, uma factura pagável a 30 dias pelos serviços prestados.
Hoje José Socrates procedeu ao seu pagamento e nomeou-o Ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros.

quarta-feira, fevereiro 23, 2005

Rescaldo


Ainda não tinha tido a oportunidade de me pronunciar sobre a noite eleitoral de Domingo mas faço questão de o fazer agora.

Grande vitória do PS com a agravante de ter sido conseguida com uma baixa (para os nossos padrões) taxa de abstenção. Ao contrário do que terá sido dito, acredito que o voto de descontentamento (contra a coligação do Governo) teve uma grande influência nestes resultados porque as propostas politicas do PS (aquelas que conseguimos perceber) não eram motivo bastante para tão bom resultado.

O PSD teve uma derrota histórica e o seu líder não teve a dignidade de arcar com as consequências desse resultado. Não imediatamente. Aproveitou para ver como seria o dia seguinte, quais as posições que as principais figuras do partido tomariam e que possíveis apoios é que teria para continuar. Como o telefone não tocou, comunicou que não se recanditaria à presidência do PSD e que só não o tinha feito anteriormente porque tinha de comunicar essa decisão, e 1.º lugar, aos órgãos do partido. Tretas.

Da parte da CDU, pela primeira vez em anos (décadas?) pode dizer que obteve um bom resultado com razão. Como se tinha previsto pela campanha que o Jerónimo estava a fazer, não só manteve o tamanho do seu grupo parlamentar como o aumentou em dois elementos. Desta vez sim, ganharam.

Quanto ao Portas, perdão, CDS-PP, teve um resultado inferior ao que eu previa e muito inferior ao que eles queriam. Num assumo de dignidade politica e pessoal (ou matreirice?) Paulo Portas assumiu uma postura pesarosa e apresentou a sua demissão da liderança do partido. Apesar disso, acredito que ainda vamos falar muito nele nos próximos tempos.

Quanto ao BE, teve, em termos percentuais, a maior vitoria destas eleições quase triplicando o número dos seus deputados. Mas mesmo nestas circunstâncias eles têm a capacidade de fazer asneira. Face às primeiras projecções da noite já se comportavam como 3.ª força politica nacional e exigiam referendos, etc. Afinal continuam em 5.º lugar e face à maioria do PS correm o sério risco de verem o seu próprio capital político (aborto, drogas leves, etc.) ser esvaziado por este. Basta que o PS assuma essas questões e resolva legislar sobre elas ou referendá-las. Deixam o BE a falar sozinho de bancos.
Uma palavra final para Ana Drago. Personificou a razão de existir do BE quando começou o discurso de vitória com “derrubamos o Santana”. Primeiro não derrubaram ninguém, foi o PS que o fez e perante estes números a percentagem do BE é irrelevante. Depois, em vez de festejar a vitoria e a possibilidade de construir que esta lhe dá, preferem abordar o resultado pelo lado negativo. Típico e desresponsabilizante.